Revestimento Primário



É um tratamento superficial, onde uma camada de mistura homogeneizada é colocada diretamente sobre o subleito ou sobre o reforço executado, regularizando a superfície de rolamento, com o objetivo de melhor as condições de rolamento e aderência nas estradas de terra. A mistura pode ser executada na própria jazida, no trecho em obras, ou em qualquer pátio que se mostre adequado.

A espessura dessa camada vai depende

r do volume e tipo do tráfego, além das condições de suporte do subleito, variando geralmente entre 0,10 a 0,20m (Silva Filho, 2001).

O objetivo da adição de argila no material granular é o de atuar como ligante e regularizar a superfície final de rolamento. Já o objetivo do uso do material granular é aumentar o atrito da pista com as rodas dos veículos (Oda, 2001). A dimensão máxima ideal do material granular é de 2,5 cm (Santos et al., 1988).

Via de regra, nas obras executas através do Programa Melhor Caminho, a mistura é realizada na própria pista que será revestida, distribuindo o material granular de forma que a camada apresente espessura constante e em seguida promovendo a mistura com o auxílio de um trator agrícola com grade de discos. A seguir veremos as etapas de execução do revestimento primário.

 

Lançamento e Homogeneização

Depositar o material de revestimento na área central da pista, coespaçamento suficiente para se obter a espessura final desejada. Pode-se utilizar uma corrente na tampa traseira do caminhão basculante para facilitar esta operação. Em seguida, espalhar o material homogeneamente sobre a pista, com o auxílio da motoniveladora. A mistura para composição do solo-brita é realizada com a grade de discos. Pode-se previamente utilizar o escarificador da motoniveladora para facilitar esta operação. Após a incorporação deve-se reconformar a plataforma.